domingo, 15 de novembro de 2009

A doença da Amargura

De todas as doenças existentes neste mundo, a pior delas é a amargura. Uma pessoa que sofre deste mal não se enxerga desta forma. Se envolve numa carapaça e passa a “andar armada” 24 horas por dia. Fere as pessoas com palavras e atitudes. Geralmente os mais próximos são os que mais sofrem. Levam “chibatadas” pelos motivos mais xulos. Como amar alguém assim?


O que leva alguém a ser assim? Será que existe uma predisposição genética? Talvez não. É possível conhecer vários casos de pessoas que sofreram em suas vidas e nem por isso tornaram-se monstros. Acho que essa é conotação perfeita: monstro.


O Amargo é infeliz e deseja que todos ao seu redor também sejam. Ele é invejoso, negativo e reclamão. Não existe nada, absolutamente nada que possa satisfazê-lo. Acho até que a felicidade destas pessoas é um pouco de sadismo. Não tem sossego enquanto não ver o outro com um problema, assim ele garante a afinidade. Sente-se bem quando estraga o dia de alguém. Se ele não está feliz, por que você vai estar?


Não sou psicóloga ou estudiosa no assunto mas resolvi escrever por experiência. Não é fácil deixar de conviver com O Amargo quando você possui um vínculo social com ele. É preciso muito treino e um incrível domínio da inteligência emocional para ignorar o doente. Meus últimos 7 anos foram um teste. Minhas opções naturais seriam: confrontar O Mosntro ou simplesmente tirá-lo da minha. São escolhas, certo? Fazemos escolhas o tempo inteiro. O próprio Amargo escolhe o tempo todo ser amargo, mesmo que não perceba. Enfim ... resolvi encarar o desafio e engolir O Tal para um bem maior ... o MEU, é claro! E não me arrependo da escolha. Sou uma pessoa extremamente feliz. O problema é que minha felicidade é a infelicidade do Amargo. Isso está ficando confuso, não?! Deixemos os detalhes para outra ocasião.


O que realmente importa é que um dia a gente cansa. E eu estou exausta! Chega de pena ... chega de tentar fazer O Amargo feliz ... chega de compreender ... chega de fazer as vontades ... chega de ficar quieta ... chega de evitar o confronto! As coisas chegaram ao ponto de necessitarmos de mudanças para que uma relação social amistosa seja possível. Mas ... como fazer um Amargo compreender o quanto ele nos repele? Como fazê-lo escutar se ele possui um mecanismo de defesa que não permite diálogo? Como lidar com um Amargo Agressivo? Essas são questões para reflexão nos próximos dias. Será que o Dr. PET saberia lidar com essa situação? RS...

1 comentários:

Elisangela Rodrigues disse...

Oi Fla amei o seu blog.
Também não poderia ser diferente vindo de alguém inteligente como vc, vou sempre
visita-lo pois sei que vai ter sempre coisas novas para aprender.
Bejos
Elis

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...